03 abril 2009

Amatitlania nigrofasciata

Sekai Scaping
Macho com padronagem selvagem

Sekai Scaping
Fêmea leucística (branca)


Nome popular da variedade branca: Acará-do-congo* / Pink Convict
Nome popular da variedade listrada: Acará-zebra, Ciclídeo Zebra, Nigro / Convict
Nome científico: Amatitlania nigrofasciata
Sinônimos: Archocentrus nigrofasciatus, Cichlasoma nigrofasciatum, Cryptoheros nigrofasciatus, Heros nigrofasciatus
Família: Cichlidae
Origem: América Central / Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicaragua e Panamá.
Sociabilidade: Sozinho / Casal - Agressivo e Territorialista
pH: 7.0 - 8.0
Dureza: 9 - 20 dH
Temperatura: 20-26°
Tamanho adulto: 15 cm macho / 10cm fêmea
Longevidade: 8-10 anos - Eu mantive uma fêmea por 9 anos.

Alimentação: Onívoro / Aceita qualquer tipo de ração, com preferência por rações específicas para ciclídeos americanos, mas é imprescindível complementar com ração vegetal. Caso a espécie não tenha esse complemento à disposição irá atacar e comer qualquer planta que esteja no aquário. Só tive sucesso criando plantas com esta espécie depois de começar a oferecer ração com spirulina. Aceita bem alimento vivo de qualquer tipo, é predador e são encontrados na sua alimentação natural peixes, crustáceos, vermes, insetos e vegetais.

Dimorfismo Sexual: O macho é maior e mais robusto que a fêmea, possui um calo nupcial na testa. É mais agressivo que as fêmeas e seu território tem uma área maior. Fêmeas são menos agressivas e relativamente tolerantes umas com as outras. São mais coloridos que machos, o que é raro em peixes. Possuem uma área de coloração alaranjada na barriga que pode se espalhar pela nadadeira dorsal e o resto do corpo e parece se intensificar com a idade. Essa coloração quase desaparece depois da desova e permanece apagada enquanto cuida de alevinos jovens, mas retorna quando a fêmea está pronta para desovar novamente. Tanto machos quanto fêmeas tem filamentos prolongados no final das barbatanas dorsal e anal, que são facilmente danificados em brigas.

Sekai Scaping
Casal leucístico, macho à esquerda.
Foto de 2002

O calo nupcial, chamado popularmente de "galo" ou "corcova", é uma protuberância que alguns peixes desenvolvem na cabeça depois de atingir a maturidade sexual. É característico de machos de alguns ciclídeos médios/grandes. Dependendo da espécie também aparece em fêmeas.

Comportamento: Sou totalmente suspeita para escrever pois tive a espécie a mais de 9 anos, para mim é um dos comportamentos mais fascinantes dos peixes de água doce que já criei. Eles exibem um grande leque de comportamentos para manter o aquarista entretido.
O macho é muito mais agressivo, posteriormente criei apenas três fêmeas então isso se atenuou muito. O comportamento em reprodução é extremamente agressivo e defendem a prole muito bem, até de peixes maiores. Sempre ativos e vivazes, gostam de escolher uma toca no aquário e por lá ficam durante alguns meses, limpando, cavando os arredores e dormindo nela até que alguma coisa mude no arranjo ou hierarquia do aquário.
Embora o aquário tivesse tocas para todas as três fêmeas, sempre acontecia de duas gostarem na mesma toca e ficarem "morando" juntas, aos trancos e barrancos. Também aconteceu de duas fêmeas esolherem a mesma toca e a defenderem juntas dos outros moradores do aquário. O comportamento com o aquarista é um dos melhores, pois se acostumam facilmente a comer na mão e até permitem ser tocados. São bem atentos a estímulos externos ao aquário, percebem movimentação de pessoas "estranhas" e roupas diferentes. São curiosos e logo que alguma planta ou objeto novo é colocado no aquário vão observá-lo atentamente, se não "gostam" da decoração nova não hesitam em bagunçar tudo.
Companheiros para esta espécie devem ser peixes de agressividade e porte semelhante em um aquário com mais de 150cm de comprimento. Nunca mantenha casais em aquários comunitários.

Sekai Scaping
Duas fêmeas leucísticas em exibição de disputa de território.


Aparência:
Existem três variedades: selvagem, branco/rosa (leucístico) e mármore.

A variedade selvagem é a primeira foto que ilustra a ficha. Tanto o macho quanto a fêmea são cinza com listras verticais pretas. A intensidade das cores muda de acordo com o ambiente e estado do peixe. As fêmeas apresentam a coloração alaranjada na barriga em época de reprodução.

Sekai Scaping
Macho leucístico
Foto de 2002

A mutação pseudo-albina foi desenvolvida pelos idos de 1960 nos Estados Unidos, são estes os exemplares que eu tinha. Embora sejam chamados de albinos por algumas fontes eles portam outra condição chamada leucismo, que é falta de pigmentos. É fácil diferenciar do albinismo verdadeiro, que causa ausência total de melanina e faz com que a pupila seja vermelha.
Em cruzamentos de peixes de padrão selvagem podem surgir leucísticos espontâneamente.
Em cruzamento entre dois leucísticos não surgem peixes de padrão selvagem.
A fêmea leucística mantém a característica cor alaranjada, o macho tem ausência total de cores e manchas.

Sekai Scaping
Macho Marble

A mutação "Marble", que significa literalmente Mármore ou Marmorizado, também foi desenvolvida em aquário. É uma forma diferente de leucismo, mas ao invés de todo o corpo ser afetado o peixe fica com várias manchas brancas e pretas.
Cruzamentos com peixes de padrão selvagem ou leucístico produzem crias mistas.

Reprodução: Em casais / Por ser muito fácil são recomendados para quem quer iniciar no mundo dos ciclídeos. Basta um macho e uma fêmea, com aproximadamente 5 meses eles atingem a maturidade sexual, o que é muito cedo. O aquário deve ter um local para uma toca, preferencialmente coberto como um vaso de barro. A fêmea é quem escolhe uma toca, limpa e prepara a área para a desova. Quando ela está pronta e com a coloração laranja intensa sai à procura do macho, que começa o ritual de reprodução com uma espécie de "dança", nadando vigorosamente perto da fêmea e se exibindo. Quando a fêmea aceita o macho ambos começam um trabalho de limpeza da toca, expulsando sujeira e areia. Por fim a fêmea deposita aos poucos de 40 a 150 ovos (dependendo da idade) e o macho os fertiliza logo em seguida.
Ambos cuidam dos ovos com tarefas diferentes. A fêmea os oxigena abanando as nadadeiras constantemente, limpa a toca e tira ovos não fecundados. O macho defende o território de qualquer invasor, incluindo a mão do aquarista, a mordida dói bastante! A fêmea se concentra em defender o território mais próximo à entrada da toca.
Em 2 - 3 dias os ovos eclodem, dependendo da temperatura. A fêmea ventila os alevinos recém eclodidos dentro da toca até consumirem todo o saco vitelino, o que demora mais 4 - 6 dias. Assim que os filhotes nadam livremente os pais cavam um buraco no substrato em um local próximo da toca e os transferem para lá. É uma espécie de "chiqueirinho", os pais mudam esse local algumas vezes, o que é muito divertido de observar.
Nessa fase é bom começar com alimentos para alevinos, como náuplios de artêmia, microvermes e rações próprias para alevinos de ovíparos até os filhotes terem tamanho suficiente para comer ração para adultos moída. Os pais são muito atenciosos e remexem o fundo do aquário para levantar detritos que possam servir de alimento para as crias.
Se você viu os pais colocando os filhotes na boca, não se assuste. Eles sempre cuidam da nuvem de alevinos, pegando os desgarrados gentilmente com a boca e os colocando no meio do grupo novamente.
Esta é uma espécie muito prolífica, logo que os filhotes começam a nadar pelo aquário todo os pais perdem o interesse e a fêmea entra em época de desova novamente, o que ocorre praticamente uma vez por mês. A rejeição dos pais aos antigos filhotes pode ocorrer assim que eles tem uma nova prole para cuidar ou até antes, por isso é bom separá-los tão logo os pais percam o interesse. Eles não comem os filhotes rejeitados, mas vão tentar expulsá-los do território.
Talvez seja necessário separar o casal neste período em que a fêmea se recupera da desova anterior, pois o macho pode ficar agressivo e querer expulsá-la de seu território a qualquer custo.
E é bom saber o que você vai fazer com a garotada que sair dessa fábrica de peixes, atualmente eu só reproduziria exemplares com genética excelente (o que não era o caso dos meus, por terem um pouco de corpo curto).

Sekai Scaping
O casal é muito unido na proteção aos filhotes.
Foto de 2002

Sekai Scaping
Nuvem de alevinos com poucos dias de vida.
Foto de 2002

Tamanho mínimo do aquário: 100 litros - 80cm / Monoespécie com casal - 200 litros - 100cm / Comunitário.

Configuração do Aquário: O habitat natural dos A. nigrofasciata consiste em rios de água límpida e fundo coberto de pedras. O aquário pode imitar o habitat natural com pedras do tipo seixo rolado, troncos, substrato de areia e alguma correnteza. Eles não tem exigência alguma a não ser fornecer algumas tocas para abrigo. Use cascalho fino ou areia pois eles gostam de cavar e podem se machucar com pedras pontudas ou engasgar com pedras grandes demais.
Plantas não são recomendáveis pois eles cavam. Além disso vegetais fazem parte da dieta natural desses peixes, que não poupam nem aquelas com as folhas mais duras. Na minha experiência com Anúbias, que tem folhas duríssimas, eles deixavam as folhas mais velhas intactas mas devoravam as novas e tenras. Só obtive sucesso com musgo de java fixo nas pedras.
Como mencionei na parte sobre dieta, ração à base de spirulina pode saciar o apetite por plantas, mas não sacia a vontade por bagunça.

Sekai Scaping
Minha fêmea mais longeva em 2002.

Sekai Scaping
A garota no final de 2008, com uma de suas centenas de filhas ao fundo.


Etimologia do Nome:
nigrofasciatus - Faixas negras/pretas.
Amatitlania - Diz respeito a um lago vulcânico da Guatemala chamado Amatitlán.

Outras Informações:
Uma mutação causada por muitos cruzamentos consanguíneos em cativeiro é uma deformação da coluna chamada de "corpo-curto" pois o peixe fica com a coluna arqueada e o comprimento muito menor do que deveria ter. O corpo pode ficar redondo como o de um kinguio oranda, tal mutação também é conhecida em outras espécies como "balão". Os exemplares com a coluna extremamente deformada são vendidos por aí como Jellybean Parrot Fish, um tipo de Peixe Papagaio. A cor branca ainda os torna alvos de tingimento, além de já estarem destruindo a genética de uma espécie. Eu desaconselho totalmente o apoio destas práticas e a compra de um exemplar como esse.

* O nome popular Acará-do-Congo é uma corruptela do nome popular na língua inglesa Convict Cichlid, que significa "Ciclídeo Presidiário". O peixe provavelmente foi nomeado assim por causa de suas listras que lembram um antigo uniforme de prisão inglês. No Brasil, é provável que as pessoas que liam e ouviam a palavra convict acabaram associando a "Congo" e adicionaram o Acará, nome popular para ciclídeos em geral. Isso gera uma tremenda confusão, pois a República do Congo fica na África, e o A. nigrofasciata é da Guatemala.


Bibliografia:

PETROVICKÝ, Ivan. La Grande Encylopedie Des Poissons D'Aquarium. Editora Gründ, 1988.
Aquahobby
Aquaonline
Cichlid Forum
Fishbase
Aquahobby - Origem do Convict
Wikipedia - Convict Cichlid
Wikipedia - Leucism


Chantal

12 comentários:

Edivaldo disse...

cada vez mais me surpriendo com a variedade de informações que se pode achar na net.adorei ter encontrado voces o que fiz ao encontrar no meu aquario om ninho de acara do congo.nao sei ainda no que vai dar mais me senti estremamente satisfeito com as informações aqui postadas um grande abraço.assinado:edivaldo,rio de janeiro (edivaldodelima@gmail.com)

Anônimo disse...

Boas

Muito obrigado pela informação. Adquiri um casal à algum tempo e nem sabia a espécie. São fascinantes(apesar de me terem destruido tudo o que estava no aquário) Já procriaram 8 vezes.

Agora que já conheco a espécie vou cuidar ainda melhor deles.

Abraço

Frederico disse...

Legal!!
gostei da descrição em geral, tenho dois exemplares no caso fiquei sabendo agora q um dos eh uma "femea" q por vista ela esta bem alaranjada, o outro esta menor e mais sem cor ainda, e a maior nao deixa o outro sair da toquinha q arrumei + ou - no aqua, com pedras.

Anônimo disse...

Olá, amei as informações sobre os acaras do congo. Tenho varios no aquario, cada um com seu ninho. Mas, agora o mais velho deles, que meu filho chama de Príncipe (mas está mais para Harry Potter - ele tem uma cicatriz no lado), apareceu com um tipo de espinha no rosto dele, espinha como dá no rosto da gente e parece q tem outra saindo no buraquinho do nariz dele. Alguém sabe o que é isso? Aguardo resposta. Obrigada. Cati (catiana_correa@uol.com.br).

Jhonatan disse...

Olá Chantal,

É possível ter Coridoras com uma fêmea de Nigro?

Frederico disse...

muitoo bomm!!!
tem tudo q eu qria saber, estou com um casal a 10 meses, ja tenho duas crias a mais antiga esta separada em um aqua de 50LT e os pais com a outra cria em um aqua de 630LT os filhotes do aqua maior ja estao com quase o mesmo tamanho dos mais velhos!
eh muito legal o comportamento dos pais com os filhotes, muito divertidos e lindo tbm!!
eles estao num aqua de ciclideos americanos com varias espécies...

os alevinos tem diferença entre os macho e femeas?
no meio dos filhotes existem alguns de coluna torta uns 2, pra mim eram os machos...ehehe...agora sei q eh uma mutação genetica...VALEUS!

CRIS VAL disse...

FIQUEI MUITO SATISFEITA COM A MAREIA ,TENHO UM CASAL A FEMEA É BRANCA E ESTA MUITO ALARANJADA E O MACHO TEM UMA FAIXA AZUL EM CIMA .ELA É MAIOR K ELE !!ESTOU AMANDO PELA FACILIDADE DE CRIA LOS ESPERO K TENHAM LOGO FILHOTES!!

CRIS VAL disse...

AMEI ESSES PEIXES

Frederico disse...

Muito bom galera estou a esperar mais uma ninhada desde "3 de novembro de 2010 17:13"
Esta sera a terceira desde a data mencionada a cima!!
Hoje eu retirei do aqua maior o casal com os ovos, os ovos estao com 3 dias, nao da pra tirar fotos pois a femea colocou os ovos muito escondidos dentro de um barco.

abraço a todos.

Anônimo disse...

Bartolomeu, meu Acará Zebra de 18 ANOS, acabou de falecer.
Afirmo, com certeza absoluta que ele tinha no mínimo 18 anos, mas a idade verdadeira pode chegar a 19 anos.
Me perdi um pouco com relação a datas, mas a referência que tenho é o sobrinho do meu marido, hoje com 19 anos e meio, que vinha aqui em casa e se encantava com o peixe "fogão". E ele devia ter 1 ano e meio, 2 anos, e Bartolomeu já estava comigo há algum tempo.
Ele chegou aqui em casa, de castigo, depois de uma tentativa de massacre no aquário do meu amigo Francois. Como o meu aquário era muito maior do que o do meu amigo (480L contra, talvez, 30L) ele veio para cá, digamos, para uma segunda chance. Chance esta, que aproveitou bem.
Viveu quase a totalidade da sua vida sozinho em um aquário sem bomba. Depois que os outros peixes morreram (sem vestígios de ataques de Bartolomeu, deixemos bem claro) a bomba quebrou e fui levando.
Logo após as esporádicas trocas de água, ele se acostumava coma minha mão dentro d'água e aceitava que eu fizesse carinho nele.
Quando nos aproximávamos do aquário, e ele estava com fome, batia no vidro.
Era um peixe interessante e com personalidade, devo dizer.
Quando ficava chateado com a bomba de sucção que eu utilizava para sugar as sujeiras do fundo, a atacava com toda a força. Irritado mesmo!
Vou sentir saudades dele.
Afinal, depois de 18 anos (no mínimo) ele, obviamente, já era um membro da família! Saudades do Matusalém dos Peixes!!!!!
Gostaria de saber se existem registros de peixes com tamanha longevidade. Sempre que contava que tinha um peixe com 10, depois 11, 12,13... 19 anos, as pessoas achvam que era estória de pescador.
Abçs,
Daniela

Jandy disse...

Adorei as informações,achei que meus peixes eram doidos quando baiam a cabeça no aquário, comprei os dois numa feira e eram chamados de zebra mas procurei na net e não tinham nada haver com peixa zebra, de repente começaram uma chacina no aquário atacaram todos os peixes grandes e não permitiram que mais nenhum descesse até o fundo do aquário,não sabíamos que eram um casal,tirei todos os outros peixes porque estavam matando peixes que estavam conosco há oito anos já...mas as crianças gostavam muito deles,principalmente porque brincam e se exibem para as câmeras fotográficas, no dia em que ficaram só os dois no aquário que surpresa! Um monte de filhotinhos estavam bem escondidinhos...e o interessante é que eles não comem os filhotes como os barbos comiam...nunca tinha visto antes peixes que interagiam assim com os filhotes...Obrigada.

Anônimo disse...

MELHOR INFORMAÇÃO QUE ACHEI NA NET, ME AJUDOU BASTANTE