28 novembro 2008

Camarão Fantasma






Espécie do gênero Palaemonetes.




Nome popular: Camarão Fantasma, Ghost Shrimp, Glass Shrimp


Família: Atyidae / Palaemonidae

Origem: Brasil
Sociabilidade: grupo
pH: 6.6 a 7.0
Temperatura: 24 a 26ºC
Tamanho adulto: no máximo 5cm
Alimentação: detritívoro e algívoro, é recomendado que sejam oferecidas rações específicas para camarões, pois elas contém os nutrientes necessários (e na proporção correta) para o pleno desenvolvimento destes animais.


Dimorfismo sexual: Difícil quando juvenis, relativamente sutil quando adultos. Fêmeas tendendo a um tamanho maior e com típica projeção do exoesqueleto em torno dos pleópodos, dando um efeito de "barrigão". Machos são menores e mais esguios.

Comportamento: Pacífico, não ataca plantas nem peixes, mas pode vir a atacar camarões menores. São excelentes saltadores, lembrem-se de tampar bem o aquário em que eles vivem se não quiserem encontrar camarões secos pelo chão.


Reprodução: O acasalamento, na maioria dos decápodos aquáticos, ocorre imediatamente após a muda (ecdise) da fêmea e os sexos se atraem por meio de feromônios. Na cópula, um casal de camarões, normalmente orienta-se em ângulos retos entre si com as regiões genitais se opondo. Os primeiros e segundos pares de pleópodos um pouco modificados são utilizados para transferir um espermatóforo para o receptáculo mediano entre as pernas torácicas da fêmea.

Camarão de reprodução especializada, ou seja, as fêmeas carregam poucos e grandes ovos. Eles são transportados nos pleópodos da fêmea e quando eclodem, os filhotinhos já se parecem com um mini adulto e se alimentam de algas, fito e zooplancton.

Uma curiosidade a respeito da reprodução dos camarões - O espermatozóide dos decápodos tem a forma de uma estrela ou de uma tachinha e não tem a peça média e o flagelo.

Tamanho mínimo do aquário: 30 litros


Outras informações: Ofereça vários locais que possam servir de abrigo para eles, pois quando realizam a ecdise ficam vulneráveis a ataques de outros animais.Procure mantê-los com peixes calmos e de boca diminuta, cujos hábitos alimentarem não entrem em conflito com a presença dos camarões.


Normalmente quando se procura na internet por camarão fantasma se encontra a informação de que ele é da espécie Macrobrachium lar, mas esta é uma informação equivocada, o verdadeiro M. lar é de origem Taitiana e não existe - naturalmente - aqui no Brasil, além disso cresce bastante ficando com pinças grandes.


Mas se não é o tal Macrobrachium lar, então qual é o nome científico do camarão fantasma?

A questão é que o nome "Camarão fantasma" não está ligado a uma única espécie, este é um dos problemas dos ditos nomes populares, praticamente todo camarão de água doce cujo corpo não apresente padrões fortes de manchas e/ou colorações - sendo assim translúcido - com pinças pequenas e com tamanho adulto grande o suficiente para não ser enquadrado como Caridina e/ou Potimirim pode ser chamado de camarão fantasma. Dentre as espécies nacionais que possuem estas características estão:

- Macrobrachium jelskii
- Palaemon sp.
- Palaemontes sp.
- Pseudopalaemon sp.




Cinthia Emerich

Bibliografia consultada:
Crustáceos Dulcícolas
Aquatic Community
RUPPERT, E. E. & BARNES, R. D.. Zoologia dos invertebrados. 6ª ed. São Paulo : Rocca, 1996.

2 comentários:

Igor França disse...

Publiquei no meu blog uma foto de um fantasma com coloração amarelada, bem diferente dos outros, que são transparentes. Esse camarão nasceu no meu aquário, será que é uma variedade?

http://aguaraterra.blogspot.com/

JackedIn disse...

olá vc sabe se estes camarões convivem bem com camarões potimirim (anões) ?

Estou preocupado em comprar um casal, pois sei que eles teem as famigeradas pinças...