07 setembro 2009

Nymphaea amazonum



Flor


Folha submersa

Folhas emersas


Folhas vistas por baixo




Nome científico: Nymphaea amazonum, Martius & Zuccarini, 1832
Nome comum: Ninféa amazônica, Ninféa amazonum
Temperatura: 20 a 31ºC
Origem: Continente americano
Taxa de crescimento: Rápido
Posicionamento no aquário: Fundo
Tamanho: as folhas podem se afastar a até 180cm da base
Dificuldade: Fácil
Iluminação: Moderada / Forte
pH: 5.0 a 7.5

Comentários: Existem duas variedades, ou subespécies, de Nymphaea amazonum: a Nymphaea amazonum var. amazonum ( que também pode ser encontrada como var. goudotiana) e a Nymphaea amazonum var. pedersenii.

A Nymphaea amazonum var. amazonum é nativa da região tropical da América do Sul, Ilhas do Caribe, particularmente em terras baixas e próximas à costa; é rara na América Central e México.

Possui floração noturna, as pétalas e sépalas flutuam na água em múltiplos de 4 (16, 20 ou 24 pétalas e 4 sépalas), se reproduz por estolões (runners) à partir de seu rizoma e sementes. Possui sempre menos de 200 estames.

A flor possui coloração branca e as sépalas são verdes, o formato é estrelado, com pétalas afiladas e pode atingir um diâmetro de 10 a 13 cm. Ela emite um forte odor que lembra acetona ou gasolina, abre durante a noite e, na primeira vez que abre, apresenta as flores femininas e, na segunda noite, masculinas evitando assim ser auto fecundada pelos agentes polinizadores. Ao amanhecer ela recolhe a flor para debaixo da água em forma de botão e somente ao anoitecer volta a expor a flor na superfície.

As folhas são verdes, com pequenas manchas em tons de roxo, é ovalada e os lobos são levemente afilados. Podem chegar a atingir o incrível tamanho de 33 po 28 cm e se espalhar por 1,5 a 1,8 metros de sua base, mas normalmente quando mantidas em aquários as folhas permanecem bem menores.

Quando em seu habitat original, é normalmente encontrada em águas calmas e as vezes até mesmo em águas ligeiramente salobras.

A Nymphaea amazonum var. pedersenii é nativa das partes subtropicais da Argentina e sudeste do Brasil; provavelmente também encontrada em partes do Paraguai e Uruguai.

Possui floração noturna, as pétalas e sépalas flutuam na água em múltiplos de 4 (16, 20 ou 24 pétalas e 4 sépalas), se reproduz por estolões (runners) à partir de seu rizoma. Possui sempre mais de 225 estames.

A flor possui coloração branca e as sépalas são verdes, o formato é estrelado, com pétalas afiladas e pode atingir um diâmetro de 10 cm. Ela emite um forte odor que lembra acetona ou gasolina, abre durante a noite e, na primeira vez que abre, apresenta as flores femininas e, na segunda noite, masculinas evitando assim ser auto fecundada pelos agentes polinizadores. As flores abrem por dois dias consecutivos, no primeiro dia os estaminóides são brancos e no segundo se tornam vermelhos.

As folhas são verdes, com padrão variegado mesclando verde e vermelho, é ovalada e os lobos são levemente afilados. Podem chegar a atingir o incrível tamanho de 33 po 23 cm e se espalhar por 1,5 a 1,8 metros de sua base, mas normalmente quando mantidas em aquários as folhas permanecem bem menores.


Folhas novas saindo do substrato

Algumas horas depois (o crescimento é muito rápido)

Disposição das folhas enquanto ainda submersas

Folha tocando a superfície da água


Emergindo primeiro a ponta

Quase totalmente emersa

Diferença entre folha emersa antiga (esquerda) e uma nova que ainda não perdeu boa parte do padrão de manchas

Quando submersas, as folhas apresentam um padrão manchado - variegado - que fica bem fraco, na verdade praticamente some, quando as folhas estão emersas. Passam então de um verde claro para um tom mais escuro e aumentam bastante em tamanho.

A planta só irá produzir flores em aquário se o ambiente for favorável, para isto uma grande quantidade de substrato fertil é necessária e deve ser refertilizado periodicamente para evitar que o crescimento da planta se torne estagnado. Primeiro ela irá lançar um botão minúsculo, de cerca de 1 cm, este irá crescer rapidamente tanto em porte quanto em altura em questão de poucos dias, chegando à superfície em aproximadamente 72 a 96 horas. Assim que chegar à superfície ele terminará seu desenvolvimento e em 1 ou 2 dias irá abrir, exibindo uma bela e delicada flor de fragância agradável.


Botão em desenvolvimento

Emergindo

Completamente emerso e desenvolvido

Detalhe da flor

Flor

A flor é muito sensível à luz, fechando-se ao primeiro sinal de iluminação mais intensa, portanto não se deve demorar muito para fotografá-la durante a noite.

Estava procurando por esta planta já fazia um certo tempo e acabei ganhando de um grande amigo, sempre quis ter uma Nymphaea em aquário e sabia das dificuldades em conseguir flores de algumas delas quando mantidas assim, mas isso não me desanimou... Apenas gostaria de deixar meu muito obrigada ao Rony Suzuki por proporcionar a oportunidade de ver esta bela planta florir aqui em casa!!!


Cinthia Emerich

* Esta é a primeira ficha da espécie a ser publicada na Internet em língua portuguesa :)

Bibliografia consultada:

3 comentários:

Guillermo disse...

Muy bella la amazonica (en latín no se ponen tildes) Una observación: las fotos son excelentes, pero caen en un común error latinoamericano de no dar el crédito del fotógrafo.

Guillermo Angulo
desde Colombia

Sekai Scaping disse...

Gracias Guillermo, las fotos son mias y se mirar bien los creditos estan en la propria foto, abajo de la logo del site.
---
Obrigada Guillermo, as fotos são minhas e se olhar bem, os créditos estão na própria foto, abaixo da logo do site.

Cinthia Emerich
Sekai Scaping

Bruno Farneze disse...

Parabéns pelo blog!

Muto informativo, com um belíssimo layout e com conteúdo diferenciado.

Abraços!